Make your own free website on Tripod.com

Betta no Aquário Comunitário

 

    Primeiro, precisamos pensar no Betta seu ambiente natural: os alagados da Ásia, águas rasas, com pouquíssimo oxigênio, e com pouquíssimas espécies de peixes conviventes, resulta em pouco predatismo contra o Betta. Ele é um dos pouquíssimos peixes capazes de suportar o baixo percentual de oxigênio dissolvido na água, graças ao seu órgão especial, o labirinto, que capta o oxigênio do ar.

    A pergunta é inevitável: como um peixe tão adaptado ao seu ambiente, com poucos predadores naturais, consegue ser tão prolífico como o Betta, sem sofrer os efeitos desastrosos da superpopulação? A resposta está no elaborado processo de seleção natural, que tem como um de seus ingredientes a agressividade com sua espécie. Além deste fator, existe o derrame de hormônios na água, que impedem o crescimento dos congêneres. Esses dois fatores aliados resultam no espalhamento dos Bettas o mais possível, com cada novo indivíduo fugindo da agressividade e dos hormônios do Betta dominante daquele território. Nesta fuga às vezes, eles chegam a subir montanhas, a ponto de se acharem Bettas Lívida a centenas de metros de altura, na Indonésia.

    Os Bettas têm este instinto de se afastar dos de sua espécie. Não podemos esquecer que a maioria dos Bettas que temos em nossas casas já vêm de várias gerações de indivíduos criados em garrafas, situação que se impregnou na "memória genética" da espécie.

    Então, após analisarmos estes fatores, voltemos às perguntas iniciais. Colocar os Bettas num aquário comunitário implica em fazê-lo se adaptar a um ambiente para o qual ele não está adaptado geneticamente. O Betta pode coabitar com outros peixes, desde que sejam pacíficos. As longas nadadeiras fazem com que nosso peixe preferido seja também preferido para "brincadeiras" de outros peixes, que chegam a arrancar completamente as nadadeiras, sem que o nosso Betta seja capaz de se defender.

    Por exemplo, se você colocar seu Betta num aquário com ciclídeos, ele teria mais uns três minutos de vida. Este seria o tempo em que ele seria "trucidado". Também é verdade que tudo depende da situação. Um aquarista observador vai notar facilmente as relações de dominância que existem no aquário. Se o seu Betta está sempre fugindo, nos cantos, sem cor (faça esta observação a partir do segundo dia), o seu Betta não "cabe" no aquário.

    Além disto, é de se esperar que os Bettas em aquários comunitários enfrentam fatores novos, como correntes de água produzidas pelos filtros, profundidade desconfortável, disputa por alimentação, etc. Tudo isso faz com que o peixe fique mais feio, suas nadadeiras tendem a crescer de forma desordenada, mesmo que não sejam cortadas por outros peixes. Tende também a ficar um pouco "frouxos", respondendo com menos agressividade ao stress de um oponente nas proximidades.

    Claro que se tratando do macho, já que as fêmeas respondem melhor à vida em aquários comunitários. Levando em questão estes fatores, pode-se dizer que é muito gostoso criar Bettas junto de outros peixes. Coloque lugares para que ele se esconda no aquário, e o seu tempo de vida pode até ser aumentado, chegando a três anos e meio.